Adaptação à caixa de areia: principais erros cometidos por tutores

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por mateus
em julho 7, 2023

Uma das características mais notórias dos gatos é o fato deles serem extremamente higiênicos. Eles não têm a necessidade de tomarem banho já que lambem o pelo diariamente, garantindo assim sua limpeza. E o mesmo vale para as suas necessidades, já que ao contrário dos cães, eles possuem um lugar próprio para realizá-las.

É por esse motivo que a caixinha de areia para gatos é um item indispensável para qualquer dono. É neste recipiente que eles fazem suas necessidades, incluindo xixi e cocô. Eles optam por fazer isso nela porque a caixa permite que eles possam esconder suas necessidades, como cobrir as fezes com a areia. Isso é um fator colaborativo que evita que os odores fiquem no ambiente em que ele convive.

Quais os principais erros cometidos pelos donos?

Caso os gatos não estiverem usando o seu “banheiro”, é sinal de que há algo de errado em relação à caixa e que está incomodando o animal. É normal, sobretudo para donos de gatos de primeira viagem, cometer alguns erros sobre a escolha e a manutenção da caixa de areia, causando esse desconforto nele. Conheça os principais deles abaixo.

Localização

Algo determinante para que o gato use a caixa de areia é a sua localização. Se ela estiver posicionada em algum espaço inapropriado, o recipiente não será utilizado. Portanto, leve em consideração alguns pontos. O primeiro deles é que ela deve ficar em um local silencioso e reservado, que ofereça privacidade ao animal para fazer as suas necessidades.

Outro ponto é que a caixa de areia, em hipótese alguma, deve ficar próxima dos potes de ração e água do animal. Assim como os humanos não comem no banheiro, o gato não suporta essa aproximação. E, claro, a caixa deve ficar em local de fácil acesso para ele, sem que haja dificuldades para encontrá-la e acessá-la.

Tamanho

Ao escolher a caixa de areia, não basta simplesmente optar pela mais bonita. Ela deve ser apropriada para o seu felino, já que escolher o modelo errado fará com que ele não se adapte à caixa e, consequentemente, faça as necessidades em locais indevidos.

Assim, ela deve ser grande o suficiente para que ele possa ficar em pé e conseguir dar uma volta completa dentro dela.

Vale destacar algumas observações quanto a essa escolha. Para quem tem um gato filhote, lembre-se de que ele irá crescer e precisará de uma caixinha maior. Assim, o melhor é escolher uma mais larga desde o começo. 

Outro ponto é a altura do modelo. Os gatos mais jovens não têm problema em saltar para entrar no “banheiro” deles, mas aqueles mais velhos, com problemas de mobilidade, podem ter. Por isso, o ideal é que o recipiente tenha os lados mais baixos para que ele entre e saia com facilidade.

Areia inapropriada

No mercado, há vários tipos de areia, mas não basta escolher qualquer uma: é necessário descobrir qual agrada mais o pet. E isso não dá para saber de antemão, sendo necessário descobrir por tentativa e erro até encontrar a ideal. 

Felizmente, há algumas dicas que ajudam na hora da escolha. O melhor é evitar areia que seja perfumada ou aquela que levanta poeira. A textura também pode impactar, então é preciso observar como o animal reage a cada um dos tipos.

Falta de limpeza

Como citado, a higiene é muito importante para os gatos. Portanto, a limpeza da caixa será fundamental para que ele com regularidade. O ideal é que o tutor recolha as fezes sempre que puder, utilizando uma pá, e evite que a areia fique úmida. O ideal é oferecer areia limpa todos os dias, realizando a limpeza completa da caixa a cada 15 dias. Além de ser higiênico para eles, esse ato evita a proliferação de insetos e bactérias.

Quantidade de caixas

Quem tem mais de um gato em casa, saiba que ter apenas uma caixa de areia não será o suficiente. Esses animais detestam dividir o seu espaço para necessidades e exigem privacidade. Portanto, a regra básica é: ter uma caixa de areia para cada gato, além de uma extra.

Caixinha com tampa

O tutor pode até achar essas caixas melhores, mas os gatos não gostam delas. Ao contrário do que se possa imaginar, elas não oferecem mais privacidade ao animal. Pelo contrário: geralmente, elas são mais apertadas, são escuras e oferecem apenas uma via de escape, o que torna o cheiro lá dentro extremamente forte. Junta-se a isso a falta de ventilação e o gato logo irá parar de utilizá-la.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade