Capital social: como definir o valor da sua empresa?

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por lucas
em novembro 25, 2022

O patrimônio de uma empresa passa por uma série de critérios para ser estipulado. Porém, existe um elemento fundamental que precisa ser considerado nessa equação: o capital social.

É certo que todos os entraves burocráticos de uma relação empresarial podem, em certa medida, gerar uma série de dúvidas.

Desde a compreensão de qual é o tamanho da empresa a ser declarado para a Receita Federal até questões mais internas podem representar uma perspectiva de planejamento.

Nesse sentido, o capital social acaba sendo um desses fatores legais de declaração de bens que devem ser feitos com total cuidado.

Porém, essa não é a única demanda mercadológica que há para uma empresa que está começando.

Na verdade, entender como uma empresa que confecciona camiseta personalizada formatura pode atuar em seu mercado é de grande importância para entender outros fatores necessários na abertura de uma empresa.

Há, nesse sentido, uma série de resoluções legais que, em grande medida, norteiam cada um dos segmentos.

Seja através de perspectivas trabalhistas ou, em grande medida, das tributações para cada tipo de empresa.

Portanto, entender qual é o modelo de empresa que aquele estabelecimento se encaixa pode ser essencial para iniciar seu investimento.

Compreender quais são os elementos legais que norteiam a fundação de uma empresa como uma fornecedora de aparelho academia crossover acaba sendo fundamental para se obter alguns horizontes jurídicos. Esses elementos são:

  • Equilíbrio das contas;
  • Atenção à legislação trabalhista;
  • Declaração de renda;
  • Alinhamento jurídico.

É importante dizer que esses aspectos não se relacionam necessariamente como uma vantagem, mas, sim, como um dever de toda empresa.

Por isso, sempre que possível, contratar uma assessoria jurídica e um contador pode ser essencial.

Esses aspectos podem encarecer a folha salarial para empresas de pequeno e médio porte que buscam efetuar essa contratação.

Porém, é possível encontrar escritórios que fazem esse tipo de serviço de forma terceirizada.

Nesse sentido, uma fornecedora de fachada para lanchonete pode focar em seu serviço essencial, enquanto esses parceiros estiverem debruçados sobre os aspectos mais burocráticos da empresa.

Sendo assim, é importante se voltar para os benefícios citados na listagem mencionada logo acima e explicá-los com maior detalhamento.

Com relação ao equilíbrio das contas, existe o aspecto legal de conseguir declarar todos os faturamentos, mas, por outro lado, também é possível observar melhor quais são os fluxos financeiros da empresa.

Uma loja de eletrônicos que vende scanner profissional, por exemplo, pode avaliar os lucros obtidos a partir dessas relações comerciais e, via de regra, aplicar novos rumos para o marketing daquela aplicação.

Vale lembrar, também, que aspectos trabalhistas acabam fundamentando a relação jurídica de uma empresa com a institucionalidade.

Ou seja, o número de funcionários, os salários e os benefícios dados podem atribuir uma série de outros custos para aquelas contas.

Por isso, ter em mente uma assessoria contábil pode ser de grande valor na hora de se estabelecer esses pontos.

Além disso, declarar quais são as rendas da empresa pode fundamentar qual será a legislação a ser atribuída à ela.

Por fim, todos esses pontos acabam convergindo para um alinhamento jurídico que pode ser muito benéfico para uma empresa.

Uma loja especializada em venda de cola espuma expansiva pode compreender quais são as dimensões legais de todas as suas relações com o mercado.

O que é capital social?

Diante dos documentos sobre aspectos jurídicos que fundamentam uma empresa no mercado, é importante seguir com algumas denominações sobre capital social.

Esse tipo de declaração diz respeito ao aporte financeiro ou de materiais para se iniciar um negócio.

No caso de um MEI, ou seja, um microempreendedor individual, esses valores farão referência ao que ele utilizou para começar a sustentar essa relação comercial.

Um profissional que faz análise de água para fins de irrigação, por exemplo, pode declarar o seu capital social como sendo o seu equipamento para aferir esse tipo de situação.

Agora, se houver uma dinâmica de uma empresa um pouco maior, essa relação começa a ganhar contornos mais complexos.

Se, nesse sentido, houver alguns sócios, é preciso que todos os aportes feitos sejam considerados na hora de avaliar qual será a declaração feita.

Uma empresa que faz locação de caixa de som precisará, diante disso, investir um dinheiro para manter seus estoques.

Tudo isso, em primeiro momento, precisará ser declarado pelos empreendedores envolvidos no negócio.

Em outros termos, essa relação precede a questão da pessoa jurídica, funcionando como um deslocamento financeiro das pessoas físicas envolvidas.

Tipos de capital social

É importante ressaltar, no entanto, que existem algumas diferenciações do ponto de vista jurídico com relação ao capital social.

Nesse sentido, é importante esclarecer quais são as principais diferenças entre as duas categorias mais utilizadas.

Capital social subscrito

Esse tipo de aporte financeiro inicial se relaciona à disposição de capital investida no ato da abertura da empresa.

Nesse sentido, um computador utilizado para manter um site no ar, por exemplo, pode estar subscrito ao capital inicial da empresa.

Capital social integralizado

Já essa modalidade diz respeito ao capital que será investido no curso da implementação da empresa.

Ou seja, se uma sociedade que está buscando abrir uma residência para idoso tiver um capital social integralizado, isso significa que há um investimento que será feito de forma gradativa.

Para que serve o capital social?

Uma empresa que está buscando se consolidar inicialmente em seu mercado precisa, a primeiro momento, de um dinheiro investido.

Pois, não é possível começar nenhum negócio sem que haja algum aporte inicial para esse tipo de construção.

Nesse sentido, o capital social é um elemento fundador de qualquer empresa que deseja atuar em um mercado, seja ele qual for.

Até que essas marcas consigam ter um faturamento que possa realizar a sua sustentação, será preciso que esses investimentos sejam feitos.

É muito comum, inclusive, encontrar cases de sucesso dentro do mercado das grandes empresas de tecnologias que fecharam no vermelho em seus primeiros anos de existência.

Muitas dessas marcas foram fundadas com um capital social que correspondia a alguns elementos de programação.

Com o passar do tempo, investimentos mais pesados passaram a fazer parte do cotidiano delas, até que essas corporações viraram referências em seu segmento.

Em outras palavras, toda empresa que existe no mercado precisou se utilizar desses recursos até começar a se autossustentar e gerar lucros.

Como definir esse valor?

Para consolidar uma declaração viável para esse tipo de aporte, são necessárias algumas posturas da gestão da empresa. Por isso, apontar alguns passos que podem nortear esse tipo de definição acaba sendo essencial.

Compreender o tamanho da empresa

Dentro das legislações brasileiras, existem uma série de fatores que podem determinar o tamanho de uma empresa.

Sendo ela MEI ou ME, por exemplo, há uma perspectiva diferente para cada capital social a ser investido.

No caso do primeiro exemplo, só há a possibilidade de um associado. Ou seja, esse capital será o aporte pessoal de uma única pessoa.

Isso, também, faz referência à quantidade de faturamento que aquela empresa poderá ter no ano.

Já o ME pode possuir mais sócios e, por isso mesmo, também tem a capacidade de ter um faturamento maior.

Projeções mercadológicas

Outra forma de definir o capital social a ser investido na hora de se fundar uma empresa dentro de um mercado, é avaliando os objetivos do mercado.

Ou seja, o que irá definir o que deve ser investido a primeiro momento serão as pretensões de produção ou prestações de serviços.

Conversar com um contador

É certo que há uma perspectiva um tanto quanto complexa quando o assunto são finanças e entraves jurídicos. 

Por isso, ter em mente a contratação de um profissional que possa ajudar nessas relações pode ser muito importante.

No caso de um contador, haverá uma expertise na hora de avaliar qual será o capital social a ser declarado.

Analisar o mercado

Um dos pontos mais importantes antes de se pensar em construir uma empresa, é analisar o mercado que ela estará inserida.

Isso vai definir, por exemplo, quais serão os primeiros aportes financeiros a serem feitos pela gestão.

Essa análise, por sua vez, passa pela compreensão da concorrência e das dinâmicas internas do segmento escolhido.

Considerações finais

Começar uma empresa do zero pode ser uma tarefa um tanto quanto difícil para quem está empreendendo pela primeira vez.

Entender, portanto, quais são os entraves jurídicos e contábeis para essa consolidação é fundamental.

Nesse sentido, o capital social acaba sendo um dos fatores mais importantes para se investir no início.

Há, diante disso, dois tipos fundamentais de manifestação dessa categoria na contabilidade da empresa.

Com relação ao capital subscrito, ele diz respeito ao aporte disposto no momento da fundação da empresa.

Já no que diz respeito ao integralizado, ele faz referência ao capital investido no curso da implementação da empresa.

Partindo da compreensão desses elementos, já é possível seguir alguns passos para a realização desse tipo de definição e declaração. Tornando o processo de iniciar um empreendimento mais fácil e evitando futuros problemas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade