Os números da moda plus size e por que dar visibilidade a corpos reais

Tempo de leitura: 2 min

Escrito por mateus
em janeiro 24, 2023

Setor está em amplo crescimento, e entender quais são as demandas do público é fundamental

Foi-se o tempo em que a moda era voltada apenas para corpos magros e esguios. Ainda bem! Entre os destaques do mercado, o plus size tem chamado a atenção pelo seu amplo crescimento e por trazer importantes reflexões sociais sobre a sociedade contemporânea. 

Afinal, mais do que a criação e venda de modelos de blusas femininas ou masculinas, a moda também é um reflexo do comportamento da sociedade. 

O que é considerado plus size?

Não é de hoje que o mundo fashion volta seus olhos para o segmento plus size. Ainda nos anos 1920, a norte-americana Lane Bryant, que vendia itens para gestantes, começou a produzir peças para mulheres mais robustas, que eram ignoradas pelos fabricantes de roupas e não encontravam itens proporcionais para seus corpos. 

Porém, foi em 1953 que o termo foi usado especificamente, quando a marca Korrel usou a expressão “mulheres plus size”. Com o tempo, a indústria fashion foi aderindo ao termo para designar suas roupas maiores – principalmente nos Estados Unidos, na década de 1970, quando percebeu-se um aumento de tamanho e peso da geração de adultos norte-americanos. Hoje em dia, o termo plus size serve para designar todas as roupas para além do tamanho 48, seja para mulheres ou para homens.

Economia: moda plus size em alta

Atualmente, o segmento de moda plus size se destaca economicamente por agregar muitos potenciais consumidores. O Brasil conta com pelo menos 110 milhões de pessoas consideradas o público-alvo do setor. Segundo a Associação Brasil Plus Size (ABPS), o segmento movimenta quase R$ 10 bilhões por ano no país – o que representa um aumento de 21% nos últimos três anos. Nos EUA, os números giram na casa dos US$ 20 bilhões. E a tendência, segundo especialistas, é o aumento dessas cifras.

Diversidade de corpos

Para além dos fatores econômicos, a moda plus size também tem sua importância social. No passado, como dissemos, Lane Bryant percebeu haver uma procura de suas clientes por roupas maiores, de acordo com a estrutura de seus corpos. Hoje também existe uma demanda similar por itens que atendam às necessidade de corpos para pessoas plus size.

Essa demanda se deve a alguns motivos. A cada dia, aumentam as discussões sobre aceitação e diversidade de corpos. Nesse sentido, pessoas gordas buscam cada vez mais estar confortáveis com sua imagem. Isso reflete diretamente na forma como elas se vestem.

Se, no passado, o corpo gordo era visto como sinônimo de desleixo e como o reflexo de um corpo tomado por alguma doença, hoje o trabalho é para que esse estereótipo seja quebrado. 

Além disso, foi-se o tempo em que roupas para pessoas gordas eram camisetas e moletons sem graça. Hoje em dia, há uma demanda por opções mais diversas de vestuários, com blusas, vestidos, saias, croppeds, bermudas e afins para que os estilos possam estar presentes na diversidade de corpos.

Por isso, é importante que o setor de moda plus size compreenda as demandas comportamentais de pessoas plus size para corresponder a elas da melhor forma possível.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade